Mais Informações

Casos Clínicos

  • Home
  • Casos Clínicos

Casos clínicos do
Dr. Leonardo Michaelis Schmidt


Você sabe como avaliar CONDROCALCINOSE pelo ultrassom?


Hoje trago um caso comentado onde uma paciente que vinha apresentando dor em joelhos. Realizamos avaliação ultrassonográfica demonstrando a presença de calcificações no interior de cartilagem hialina e menisco, revelando achado compatível com Condrocalcinose, também denominada Pseudogota ou Doença por Depósito de Pirofosfato de Cálcio (DPPC).

Acompanhe o vídeo onde eu comento sobre isso em meu canal do Youtube. Ah, aproveite para se inscrever e ativar as notificações do canal para não perder nenhum conteúdo sobre US reumatológico!

dr. leonardo michaelis schmidt

Você sabe como avaliar hipertrofia sinovial (sinovite) pelo ultrassom?


Você sabe como avaliar hipertrofia sinovial (sinovite) pelo ultrassom? Por meio de algumas manobras isso é possível com facilidade.

Acompanhe o vídeo onde eu comento sobre isso em meu canal do Youtube. Ah, aproveite para se inscrever e ativar as notificações do canal para não perder nenhum conteúdo sobre US reumatológico!

dr. leonardo michaelis schmidt

Saiba visualizar derrame articular pelo ultrassom!


Você sabe visualizar e diferenciar derrame articular pela ultrassonografia? Por meio de algumas manobras simples e básicas você conseguirá fazer isso com facilidade.

Acompanhe o vídeo onde eu comento sobre isso em meu canal do Youtube:

Ah, aproveite para se inscrever e ativar as notificações do canal para não perder nenhum conteúdo sobre US reumatológico!

dr. leonardo michaelis schmidt

Saiba ajustar adequadamente o Power Doppler


Você sabe como ajustar adequadamente seu equipamento de ultrassom para realizar exames com Power Doppler para avaliação reumatológica?

Acompanhe o vídeo onde eu comento sobre isso em meu canal do Youtube:

dr. leonardo michaelis schmidt

Você tem cuidado desse detalhe na hora de realizar seus exames de US?


Um dos principais erros que podemos cometer na hora de realizar os exames de ultrassom reumatológico é comprimir demais o transdutor contra a pele do paciente no momento de realizar o estudo pelo Power Doppler.

A pressão excessiva exercida pelo transdutor pode colabar pequenos vasos sinoviais de neoangiogênese e suprimir ou anular os sinais que deveriam aparecer ao Power Doppler.

Acompanhe o vídeo onde eu comento sobre isso em meu canal do Youtube:

dr. leonardo michaelis schmidt

Você tem cuidado do posicionamento do seu paciente na hora do exame?


Alguém pode até achar besteira, mas o posicionamento correto do paciente na hora de realizar os protocolos de avaliação reumatológica por ultrassom é de fundamental importância.

Acompanhe o vídeo em meu canal do Youtube onde eu comento sobre isso nos exames de ultrassom de mão e punho para protocolos de reumatologia.

Aproveite para se inscrever e ativar as notificações do canal para não perder nenhum conteúdo sobre US reumatológico!

dr. leonardo michaelis schmidt

O ultrassom e a artrite psoriásica


Muitas vezes quando pensamos em US reumatológico sempre temos em mente o uso desse método para avaliar pacientes com artrite reumatoide.

Porém, a ultrassonografia também é extremamente útil em outras doenças reumáticas inflamatórias, como na “Artrite Psoriásica”, nos auxiliando tanto na avaliação articular quanto também na avaliação de tendões (tenossinovites / dactilites) e unhas, pois frequentemente encontramos alterações “extra-articulares” típicas desta doença.

Acompanhe o vídeo onde eu comento um caso de artrite psoriásica avaliada pelo ultrassom em meu canal do Youtube:

O que achou? Responda lá nos comentários do canal do Youtube!

Ah, aproveite para se inscrever e ativar as notificações do canal para não perder nenhum conteúdo sobre US reumatológico!

dr. leonardo michaelis schmidt

O poder dos “combos”


Você certamente já foi em algum McDonald´s ou Burger King (ou qualquer outro Fast Food) e se deparou com ofertas dos famosos “combos” de refri, fritas e sandwiches, não é mesmo?

“Mas Leonardo, ficou doido? O que isso tem a ver com ultrassom?”

Dei esse exemplo para falar de uma grande possibilidade de exames de “combos” também na ultrassonografia reumatológica!

Sim! Em nossos protocolos de US reumatológico realizamos exames de várias articulações em um único paciente. Isso faz com que você poupe tempo de entrada e saída de pacientes na sala, cadastro no sistema, preparo etc. Além disso, esses exames são acompanhados do Power Doppler, ou seja, agrega ainda mais valor ao seu exame.

Acompanhe vídeo onde comento isso no meu canal do Youtube:

dr. leonardo michaelis schmidt

Armadilhas em ultrassom reumatológico


Em muitos momentos durante nossos exames de ultrassonografia nos deparamos com situações nas quais podemos confundir alguma imagem achando ser uma coisa quando na verdade não é bem aquilo que parece ser.

Neste vídeo mostro um caso onde durante a realização de um exame de rotina de punho, na avaliação palmar, localizei um achado que parecia ser uma erosão superficial óssea no semilunar. Porém, ao complementar o estudo com Power Doppler, pude entender do que realmente se tratava.

Acompanhe o caso no meu canal do Youtube.

dr. leonardo michaelis schmidt

O ultrassom e os procedimentos guiados na reumatologia


A ultrassonografia aplicada à reumatologia pode nos auxiliar muito para avaliação diagnóstica e também acompanhamento clínico evolutivo das doenças reumáticas.

Além disso, uma das grandes aplicações para o ultrassom é na realização de procedimentos guiados, com intuito de dar mais segurança ao médico e melhorar a acurácia da infiltração. Por meio da visualização direta da agulha conseguimos introduzi-la com melhor precisão nos locais indicados.

Neste vídeo mostro um caso onde realizamos a avaliação diagnóstica de artrite residual em joelho esquerdo com posterior procedimento ecoguiado em uma paciente com diagnóstico prévio de artrite reumatoide em uso de DMARDs tradicionais. Apesar de ter melhorado dos sintomas em outras articulações, ela persistia com dor e edema no joelho esquerdo.

Acompanhe o caso no meu canal do Youtube.

dr. leonardo michaelis schmidt

US reumatológico se limita somente a avaliação de articulações?


A maior parte da aplicabilidade do ultrassom na reumatologia sem dúvida alguma é para avaliação de articulações, tendões e enteses!

Porém, em determinadas doenças, como é o caso da PSORÍASE, podemos utilizar a ultrassonografia em diversos cenários, além das articulações, como na avaliação de pele e das unhas.

Neste vídeo mostro um caso onde realizamos a avaliação de uma placa de psoríase pelo ultrassom. Faço também uma pequena revisão sobre a avaliação ecográfica dos outros sítios alvos da psoríase.

Acompanhe o caso no meu canal do Youtube.

dr. leonardo michaelis schmidt

Diversos achados ultrassonográficos em um único paciente


Às vezes realizamos exames onde encontramos diversos achados relacionados a determinada patologia em um único paciente!

Foi o que aconteceu com esse caso em questão, onde em um atendimento de paciente com queixas poliarticulares conseguimos “praticamente” definir o diagnóstico por meio da ultrassonografia, devido à grande diversidade de achados ultrassonográficos sugestivos de artrite microcristalina.

Coloquei o termo “praticamente” propositalmente entre aspas, pois sabemos que o ultrassom é um exame complementar e sempre devemos considerar nossos achados dentro de um contexto clínico. Porém, nesse caso você verá que o diagnóstico “saltou aos olhos”!

Acompanhe o caso no meu canal do Youtube. Ah, aproveite para se inscrever e ativar as notificações do canal para não perder nenhum conteúdo sobre US reumatológico! Depois me conta o que achou desse caso lá nos comentários do canal!.

dr. leonardo michaelis schmidt

Abandono de tratamento e ultrassonografia reumatológica


Uma situação relativamente frequente nos consultórios de reumatologia é o abandono do tratamento proposto. Os motivos disso são diversos: paciente melhorou e “achou” que poderia parar os medicamentos, efeito colateral não relatado ao médico e paciente decide suspender o tratamento, usou uma caixa até acabar e não entendeu que era uso contínuo etc.

Compartilho caso de paciente portadora de Artrite Reumatoide (AR) que resolveu suspender todos os seus medicamentos modificadores de doença (chamados de DMARDs na reumatologia) por estar bem e não ter compreendido a necessidade do tratamento e acompanhamento contínuo para essa doença crônica.

Novamente a avaliação ultrassonográfica nos ajudou a identificar atividade de doença e também demonstrar em tempo real para a paciente a importância em manter o seguimento clínico regular com o reumatologista.

Acompanhe o caso comentado no meu canal do Youtube e depois me conte o que achou lá nos comentários do canal.

Ah, aproveite para se inscrever e ativar as notificações para não perder nenhum conteúdo sobre US reumatológico.

dr. leonardo michaelis schmidt

Caso clínico comentado: dor em tornozelos e ultrassonografia


As dores articulares crônicas são causas frequentes de procura por atendimento nos consultórios de reumatologia, independente da idade do paciente.

Recentemente atendi uma mulher de 47 anos com queixa de dor em tornozelos bilateralmente, sem história de trauma prévio.

Nesse caso em questão os achados do ultrassom foram de grande importância para nortear nossa principal suspeita diagnóstica.

Acompanhe o caso comentado no meu canal do Youtube e depois me conte o que achou lá nos comentários do canal.

Ah, aproveite para se inscrever e ativar as notificações para não perder nenhum conteúdo sobre US reumatológico.

dr. leonardo michaelis schmidt

Acometimento tendíneo pode ser sinal de doença reumática?


Se você já faz ultrassonografia musculoesquelética há algum tempo, provavelmente já viu muitos pacientes com tenossinovites/tendinopatias acometendo tendões de punho ou da mão.

Muitas vezes não atentamos que em alguns desses casos podemos estar diante de um paciente com algum tipo de artropatia inflamatória reumática!

Devemos prestar atenção em alguns “sinais de alerta” para isso, tal como hipertrofias tenossinoviais e sinoviais, aumento de captação de sinais ao Power Doppler e acometimento de múltiplos tendões ao mesmo tempo, sem outra causa justificável.

Vale lembrar também que o tendão extensor ulnar do carpo (sexto compartimento do punho) costuma ser foco frequente de tendinopatia/tenossinovite em pacientes com artrite reumatoide! Fique sempre atento à ele!

E você, tem visto muito acometimento tendíneo em mãos e punhos de seus pacientes? Responda nos comentários lá no youtube!

Veja esse caso comentado no meu canal do youtube onde eu falo um pouco mais sobre isso!

dr. leonardo michaelis schmidt

Qual o impacto do US reumatológico na sua carreira?


Você já deve saber que a ultrassonografia é um excelente método de avaliação de atividade inflamatória sinovial nas doenças reumáticas.

Além disso, o reumatologista com habilidade em ultrassom pode atuar realizando exames para outros médicos solicitantes (especialmente outros reumatologistas e ortopedistas), ampliando sua área de atuação dentro da especialidade além de aumentar seu faturamento! O que é muito legal, não acha?

Hoje eu gostaria de compartilhar um caso de paciente que veio encaminhada por colega reumatologista para avaliação de punhos, ombros e tornozelo com Power Doppler.

Apresentou sinovite radiocarpal e intercarpal com intensa atividade ao Power Doppler, bem como derrame glenoumeral posterior em ombros e sinovite tibiotalar em tornozelo esquerdo.

A avaliação por US no caso em questão foi de grande auxílio para a colega reumatologista solicitante, auxiliando no planejamento terapêutico mais otimizado para a paciente.

E você, já tem incorporado exames de US reumatológico em sua agenda? Me conta lá nos comentários do vídeo no Youtube.

Veja algumas imagens deste caso abaixo em meu canal do youtube.

dr. leonardo michaelis schmidt

Você conhece os achados de ultrassom na gota?


Você tem utilizado o US para avaliar adequadamente seus pacientes com suspeita de Gota (ou já com doença estabelecida)?

O ultrassom é uma ferramenta incrível para avaliar diversos achados que são sugestivos de artropatia por cristais de urato, tais como o sinal do duplo contorno, sinal da tempestade de neve (snow storm) e avaliação de agregados cristalinos e tofos.

A ultrassonografia pode te ajudar tanto na avaliação de casos com suspeita de gota, quanto naqueles já com doença estabelecida para acompanhamento evolutivo do tratamento.

Veja algumas imagens deste caso abaixo em meu canal do youtube.

dr. leonardo michaelis schmidt

A dor articular melhorou! Faço o ultrassom mesmo assim?


Esses dias atrás atendi um paciente com quadro de dor em cotovelo esquerdo. Ele teve uma única crise alguns dias antes da consulta e no momento dizia já estar bem melhor.

Trouxe alguns exames consigo, dentre eles um ácido úrico elevado. Diante de tal cenário, do ponto de vista clínico, ficou mais ou menos claro de que se tratava de uma primeira crise de gota.

Mesmo diante do relato de melhora clínica do paciente e exame físico normal (não tinha mais dor no cotovelo e a mobilidade era normal), resolvi realizar uma avaliação com ultrassom do cotovelo em questão.

Para minha surpresa, pude visualizar diversos achados inflamatórios ainda residuais nessa articulação.

A lição que eu tirei desse caso foi que nem sempre a clínica, que apesar de ser “soberana” como diz o jargão, será compatível com tudo o que está acontecendo à nível intra-articular. Nesse caso, o ultrassom mais uma vez pode trazer informações cruciais para o melhor manejo clínico terapêutico!

E você? O que teria feito nesse caso? Teria realizado o US ou só manejado o caso clinicamente?

Veja algumas imagens deste caso abaixo em meu canal do youtube.

dr. leonardo michaelis schmidt

Você tem utilizado essa ferramenta em sua rotina?


Acredito que você já deve saber que uma das aplicações da ultrassonografia reumatológica é a avaliação da atividade inflamatória sinovial em tempo real, mesmo em pacientes já sob tratamento com as chamadas DMCDs (drogas modificados do curso da doença), sejam essas sintéticas ou biológicas.

Neste caso, avaliamos um paciente com Artrite Reumatoide com sete anos de evolução já em uso prolongado de DMCDs (metotrexato e leflunomida).

Por meio do ultrassom conseguimos identificar importante atividade inflamatória atual e programar um novo plano terapêutico.

E você? Já tem utilizado o ultrassom em sua rotina de atendimento reumatológico?

Veja algumas imagens deste caso abaixo em meu canal do youtube.

dr. leonardo michaelis schmidt

O ultrassom pode ser seu diferencial


Recentemente retornei de férias e logo no primeiro período de atendimento atendi um senhor com quadro de dores articulares em mãos e punhos, de início há alguns meses, associado a rigidez matinal.

Esse senhor trazia consigo um RX de mãos com resultado normal (exceto por alguns sinais de osteoartrose), exames laboratoriais também sem muitas alterações (VHS, PCR normais, Fator reumatoide ausente), exame físico sem sinais aparentes de artrite.

E é justamente nesse cenário que o Ultrassom faz total diferença na carreira do reumatologista (ou do ortopedista ou clínico em seu consultório).

Por meio do exame de US realizado ali mesmo após o exame clínico do paciente, pude já fechar seu diagnóstico! Ao realizar um de meus protocolos preferidos de avaliação na Artrite reumatoide (protocolo US10), observei claros sinais de sinovite em atividade e pude fechar seu diagnóstico e programar o tratamento.

O paciente ficou muito impressionado e satisfeito, pois nunca nenhum médico havia atendido ele dessa maneira até então. Ele percebeu o diferencial naquele atendimento, com diagnóstico realizado já no momento da consulta por meio do auxílio do ultrassom!

E você? Também tem realizado esses exames de US reumatológico em seus pacientes (ou pacientes encaminhados pelos colegas)?

Veja algumas imagens deste caso abaixo em meu canal do youtube.

dr. leonardo michaelis schmidt